3 dicas para fazer um bom planejamento tributário

Já falamos aqui no blog da Albieri e Associados que uma boa gestão dos departamentos contábeis, fiscais e financeiros é fundamental para o sucesso da sua empresa. Dentro destas áreas, certamente a figura do planejamento tributário tem se destacado nos últimos anos, pois, além de ter o papel de gerar uma melhor eficiência financeira nos negócios da empresa, evitando com que valores sejam pagos desnecessariamente em tributos que poderiam ser economizados, pode gerar recuperação de valores pagos indevidamente ou o maior nos últimos 5 anos.

Então, se você quer trabalhar com planejamentos para reduzir a carga tributária e aumentar os lucros da sua empresa de uma maneira eficaz, confira algumas dicas que separamos para você fazer um bom planejamento tributário. Confira: 

Equipe dedicada e estabelecimento de metas

Ainda não foi inventado, pelo menos que tenhamos conhecimento, robôs que substituam bons analistas para realizar um bom planejamento tributário. Assim, uma importante decisão dos gestores da empresa passa por investir em uma equipe (que no começo pode ser de uma pessoa só) totalmente dedicada às análises tributárias e melhoria da eficiência da empresa neste sentido. Outra forma é a contratação de uma consultoria financeira por meio de empresas de terceirização especializadas neste sentido.

É muito importante que esta pessoa ou este prestador não estejam envolvidos com os afazeres do dia-a-dia do departamento e que a empresa estabeleça metas de economias para serem atingidas. Ao final de um ano de trabalho, o empresário e a administração verificarão que os custos inicialmente envolvidos serão facilmente superados pelas economias geradas. Faça um teste, conheça mais sobre as vantagens da terceirização do departamento financeiro, aqui.

Tributos na cadeia de suprimentos

Uma das maneiras mais eficazes de verificar eventuais gastos desnecessários com tributos é realizando o planejamento tributário e, com isso, analisar a cadeia de suprimentos de sua empresa. Algumas perguntas como: será que um insumo pode ser adquirido de outra unidade federativa, gerando economia tributária? Estamos tomando os créditos corretamente das compras realizadas? É mais vantajoso adquirir certas mercadorias diretamente da indústria ou de distribuidores? Existem serviços embutidos nos preços de produtos ou insumos adquiridos? Meus fornecedores estão realizando corretamente o cálculo dos tributos que estão vindo em suas notas fiscais?

Estas questões, quando observadas de forma analítica e simulando-se diferentes cenários, certamente geram resultados e condições para renegociar contratos e acertar cadastros internos que trarão economias tributárias à empresa e melhorarão a margem dos produtos e serviços vendidos.

Cadastro de itens

Ter um cadastro de itens bem gerenciado é chave para a eficiência tributária de uma empresa. Se ela for prestadora de serviços, o mesmo se aplica ao cadastro dos serviços prestados.

Além das alíquotas a serem atreladas a cada item, é fundamental verificar as possibilidades de transações comerciais que poderão ser feitas com um determinado produto. Por exemplo, venda para industrialização, venda com o objetivo de revenda ou uso e consumo, transações dentro e fora do estado, origem da mercadoria (nacional ou importada), entre inúmeras outras. Cada transação comercial pode gerar cargas tributárias diferenciadas e onerar o preço do produto vendido ou, em contrario sensu, gerar contingências para empresa por recolhimentos incorretos de tributos.

Três pontos são muito importantes quando se fala de cadastro: (1) atualização constante baseada nas alterações da legislação, (2) centralização de sua manutenção e (3) proximidade e discussão com as áreas de negócio.

Se você quer saber mais sobre planejamento tributário e como realizá-lo da melhor forma, confira mais dicas no nosso blog ou entre em contato com nossa equipe.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *